Clássicos até o Fim: Alundra [20]

Chegamos na vigésima parte de Alundra, um jogo recheado de desafios com uma história animalesca! Na última semana, passamos por Nirude, uma dungeon enorme localizada em uma estátua gigante, à nordeste de Inoa. Pois bem, antes de seguir para Inoa e continuar o enredo, faremos uma pausa para pegar uma espada importante no game. Siga até a estátua de King Snow, mas não interaja com ela ainda. Suba e vire à esquerda, atravessando uma ponte em seguida. Caia na água ali e entre no pequeno rodamoinho. Siga até o maior e ele te levará à mais uma dungeon, dessa vez opcional.

Fairy Pond [dungeon opcional]

essa é a entrada para Fairy Pond

Essa dungeon é curta e a maioria dos inimigos consiste nos lagartos. Lembre-se de que agora tens a Fire Wand, arma excelente contra esses malditos que adoram defender seus ataques. Siga pro norte, pulando nas pedras até alcançar o alto. Acima, à direita, o caminho vai se dividir em três: siga para o sul, por qualquer um dos lados, pule na água e entre no teleporte. Dentro da água, caia até o piso mais baixo e pule no botão: um aviso na tela diz que algumas pedras se moveram. Ao lado, no baú, mais um Life Vessel (36) te espera. Do outro lado, outro baú com uma Herb. Suba até o teletransporte novamente.

não esqueça o Life Vessel

Assim que subir, siga para o norte até a bifurcação e desça pelo lado direito. Continue pelo lado direito e entre na passagem escondida na parede. Continue descendo e pise em outro teletransporte. Assim que chegar na outra área submersa, salte à direita e empurre a pedra para que ela caia na outra e ambas sejam destruídas. Pule na pedra logo acima e dela, pra outra à direita. À partir dali, use as bolhas que sobem para a alcançar a plataforma dupla logo abaixo. Dela, salte à direita e suba, pegando uma Herb no baú. O objetivo agora é seguir ao sul, siga saltando nas plataformas orietando-se pela sombra de Alundra e entre no teleporte abaixo.

olha a passagenzinha escondida ali

Nota: se você cair no processo, sairá em uma sala enorme sem baús nem nada, onde terá que achar a saída que te leve à sala acima novamente.

Saindo do teleporte, siga para baixo e caia na cachoeira. Dê a volta na sala e entre em outro teleporte no alto. Assim que sair na área submersa novamente, salte à esquerda (nas plataformas) e siga pela direita, descendo em seguida. Corte a corrente para liberar a bola de espinho e pegue uma Herb no baú. Mais abaixo, há outra Herb, se precisar. Suba até as plataformas anteriores e pule à esquerda do chão cheio de espinhos. No buraco, bolhas surgem, use-as para subir e pegar outra Herb no baú. Após pegar a Herb, salte à direita e entre no teleporte DA DIREITA, mais abaixo.

entre pelo teleporte mais abaixo, à direita, ao invés do mais acima

Suba nadando entre os espinhos e entre na porta no alto. No próximo corredor, encontraremos Stenia, Rainha das Águas, que se diz impressionada por Alundra ter chegado até ali. Ela começa a falar sobre a raça de Nirude, os Gazeck, que antes eram os deuses mais poderosos que existiam. Após um tempo, o líder deles se rebelou e começou a destruir os humanos, tudo porque queria toda a adoração e fé somente para ele. Os humanos se rebelaram e desistiram de acreditar nos Gazeck, o que acabaram por adorar Melzas. Mas Melzas, como todos sabem, não é o melhor exemplo de deus que os humanos queriam.

Stenia, a Rainha das Águas

Enquanto Stenia falava, lugar começou a ruir. Rapidamente, ela pede que Alundra saia dali o quanto antes, pois Melzas vai destruir o lugar. Nisso um baú despenca do alto, com a Fiend Blade dentro. Pegue-a e saia o mais rápido possível desse lugar! Desça e siga para o teleporte. Voltando à área submersa, pule para o teleporte ao norte. Caia da cachoeira e entre no teleporte à esquerda. Siga saltando nos pilares, sempre na direção norte, até outro teleporte. Ao sair, desça e siga para esquerda, onde alguns lagartos aparecem. Desça pelo caminho estreito e pise no teleporte para sair do lugar.

Saindo do rodamoinho, siga diretamente para Inoa. Chegando lá, alguns moradores me dizem que Lutas quer falar comigo. Falei com ele e ele me contou que está correndo perigo, que outro dia quase morreu esmagado, sendo salvo por Ronan na última hora. Desconfiado de Ronan, ele quer que eu converse sobre isso com Septimus. Ao sair de sua casa, Meia aparece dizendo que ouviu a conversa. Ela fala sobre o sonho que Sybill teve com Alundra, sobre a morte premeditada de Lutas e sobre ele se transformar em uma poderosa espada, a Holy Sword. Concluindo, Meia acha que Ronan salvou a vida de Lutas para prevenir que Alundra pusesse suas mãos na Holy Sword. Agora, como ele sabia do sonho de Sybill, continua um mistério…

Meia chama a atenção de Alundra para um fato: quando ela chegou na ilha, Ronan lhe pediu para orar por Melzas. Obviamente ela recusou, dizendo que quando se faz isso, se permite que os deuses invadam seus pensamentos. Pelo visto, Alundra deve ter pensado alguma coisa, pois Melzas sabia do sonho de Sybill através dele, e Ronan ficou sabendo dessa maneira, através de Melzas…

A garota sugere ir até o Sanctuary destruir a estátua de Melzas, assim, Ronan não terá mais para quem enviar suas preces e pedidos. Siga para lá imediatamente e vamos confrontar Ronan! Ronan recebe a dupla com bom humor, mas Meia vai direto ao assunto, dizendo que pode sentir dali mesmo a presença maligna da estátua de Melzas. Ronan ri, supostamente dizendo que Meia também se comunica com deuses. Sarcasticamente, Meia diz que sim, e que a visão é maravilhosa…

Ronan acaba ficando nervoso, e diz que vai levar os garotos até a estátua para a destruirem. Segundo ele, ficarão desapontados ao saber que ele não depende de uma imagem para adorar seu deus. Pra mim, nessa hora, Ronan estava blefando, mas, pelo visto, ele estava falando sério. Meia diz para Ronan sair da sua frente, e ele pragueja que todos de Inoa sabem da estátua, e não só sabem, como também a adoram. E o velhote ainda joga contra: “como vão reagir ao saber que vocês destruiram o objeto de sua devoção?”.

Meia sai dizendo que vai provar à todos que essa estátua é destinada ao demônio, e que, custe o que custar, será destruída! Ronan apenas balbucia algumas palavras rogando praga em Meia, enquanto deixamos o Sanctuary….

Ronan não um cara que dá pra chamar de amigo...

Lá fora, Meia acusa Ronan de assassinato e ainda diz que ele vai atacar alguém próximo à Alundra. Meia pede para protegermos as pessoas que restam antes que o velho mago volte a atacar. Enquanto Meia vai para casa de Septimus, siga para casa de Jess para saber se está tudo bem. Jess apenas comenta para que Alundra descanse um pouco, pois parece cansado. Devolvendo a pergunta, Jess diz que ainda tem muito o que fazer, pois está sem sono… Siga para cama e durma. Um pouco antes de dormir, Jess passa no quarto de Alundra para ver se está tudo bem, faz uma oração ali e sai. A noite cai…

...

No dia seguinte, a triste notícia chega com Meia: Jess está morto! Meia chama Alundra até o cemitério, onde todos de Inoa estão… Chegando lá, o corpo de Jess está caído sobre uma lápide. Após a cerimônia de enterro, restando apenas Ronan e Alundra no cemitério, o velho maldito sai dizendo que Alundra foi quem matou Jess…


Ronan: Jess te salvou quando estava na beira da morte, e como você retribuiu tudo isso à ele? Você o matou! Sim Alundra, deixarei a culpa da morte de Jess por sua conta, seu assassino!

No outro dia, Septimus entrega uma pequena chave à Alundra, chave essa que estava nas mãos de Jess ao morrer. Com a Small Key, siga até o pequeno baú azul na casa de Jess e pegue o Jess Diary:

“Alundra, se você estiver lendo isso, eu já terei partido! Oh, isso não é bom, entende o que eu digo? Eu fui ver o que Ronan estava fazendo no cemitério enquanto você dormia, eu sabia que você suspeitava dele tanto quanto eu. Mas eu não queria que você o pegasse sozinho.

Eu estou com muito medo Alundra, minhas mãos tremem ao escrever esta carta. Seria mais fácil subir até meus aposentos e esquecer Ronan, mas eu não podia fazer isso, pois… pra mim você era um filho, e eu não conseguiria viver com a culpa de não ter feito nada. Então, juntei toda minha coragem para escrever essa carta antes de seguir até Ronan.

Alundra, depois que minha esposa e meu filho morreram, eu me tornei um fracassado. Sua coragem e força me reergueram novamente, não tive tempo de te conhecer melhor, mas foi o suficiente e estou satisfeito por tê-lo conhecido, mesmo assim. Obrigado Alundra, meu querido filho.

Com amor,
Jess.”

Dentro do baú ainda encontrei uma armadura velha e quebrada, a Broken Armor.

As próximas cenas mostram o começo da amizade de Jess e Alundra, no momento que o garoto chegou até a margem, sendo encontrado por Jess em seguida. Após todo o tratamento, Alundra se recuperou e Jess passou a fazer parte da vida do garoto, criando itens, armas e acessórios conforme as coisas aconteciam em Inoa. Depois de todo esse triste flashback, voltamos à Inoa, logo de manhãzinha. Confesso que é estranho acordar no game e não escutar as marretadas de Jess na criação de novos itens para Alundra…

Enfim, por hoje chega. Semana que vem eu volto pra contar o que vem a seguir, pois o jogo ainda tem muito chão! Até lá!

4 comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s