MARATONA SNES – Dia 03 – Boas Lembranças e Novas Decepções

O tempo passa, mas parece que o SNES não.

maratona03

Seguem os jogos de hoje.

[021] Magical Quest, The – Starring Mickey Mouse
Capcom, 1992
Plataforma

021-magical-quest
Disney e Capcom juntas sempre dá coisa boa, e no SNES não foi diferente do que vinha acontecendo no Nintendinho. Magical Quest terminou sendo uma trilogia no 16 bits da Nintendo, sendo esse aqui o primeiro dos três. Uma das características mais bacanas é a possibilidade de trocar de roupas durante as fases mais avançadas, o camundongo Mickey pode se travestir de mágico, bombeiro e escalador, ganhando habilidades específicas algumas vezes obrigatórias para passar de algumas etapas e principalmente chefes. Um belo jogo que o Max Carnage adora.

Max Carnage: Adoro mesmo! Os três, mas infelizmente o terceiro game (Mickey & Donald) só foi parar no ocidente na conversão pro GBA. Esse primeiro foi um dos primeiros games que joguei no SNES junto com Super Mario World, o que justifica o amor a primeira vista que rende até hoje pelo Super console! Não podia ver Magical Quest na locadora… e infelizmente não cheguei a tê-lo na minha gameoteca.

[022] Rival Turf!
Jaleco, 1992
Beat ‘em Up

022-RivalTurf
A longa série (peraí, nem tanto) japonesa Rushing Beat chega no ocidente e claro, com um título totalmente novo e história adaptada ao padrão americano. Esse é um beat ‘em up na linha da série Final Fight, cheio de inimigos estranhos de tudo quanto é tamanho, facas, explosivos e outras coisas pelo cenário, comida pra encher o life e todos aqueles clichês que todos nós gostamos. Nesse aqui temos apenas dois personagens a disposição, também como em todo beat ‘em up, um é mais ágil e o outro é melhor nocauteador.

Matt: Good Lord… Esse é terrível, lembro bem de jogá-lo online com o colega Batera e a gente morria de rir, tudo graças a uma movimentação bizarra aliada a golpes feiosos/esquisitos e uma leva de inimigos iguais que não cansam de aparecer. Para completar, olha só a capa desse jogo, certamente presente em qualquer top 10 de piores capas ever.

[023] King of Dragons, The
Capcom, 1994
Hack ‘n Slash

022-kingofdragons

O game foi lançado para arcades em 1991 e é muito parecido com o conhecido Knights of the Round. Aqui você pode escolher entre 5 personagens com características diferentes, um elfo, mago, guerreiro, clérigo e anão, dá para jogar 2 jogadores simultâneos mas não dá para trocar de personagem durante o jogo. O game tem um sistema de níveis de evolução dos personagens que ganham armas e poderes melhores, são 16 fases para vencer o dragão e salvar o mundo.

Max Carnage: No meio de tantos beat ‘em ups da epoca surge esta joia. Não que era novidade, mas o estilo era bastante escasso. Quem imaginaria poder jogar um misto de briga de rua com RPG?

[024] A.S.P – Air Strike Patrol
Opus, 1995
Shoot ‘em Up

024-ASP

Eita, acho que esse foi o primeiro jogo que eu peguei que não fui nem um pouco com a cara. Possivelmente inspirado nos jogos de computadores da época, mas não serviu no console de 16-bits da Nintendo. A começar pela total falta de usabilidade no menu inicial para fazer todos os ajustes necessários até começar e jogo e, quando começa,  a decepção é grande; pense no Desert Strike só que com um avião, que é um meio de transporte que NÃO PÁRA. Sim, quando se passa do objeto é necessário manobrar pra voltar atirando. Não foi dessa vez, gameoteca do SNES…

Matt: Terrível. Talvez sirva para um entusiasta do tema ou jogadores com um gosto bem peculiar, mas certamente esse A.S.P. não merecia estar no console que está. A guerra começa na hora de começar o jogo, na hora de conseguir finalmente voar com o tal avião, daí você já cansou de tentar jogar e nem quer mais aprender onde atira, quando você perceber o trabalho que dá destruir um inimigo, já desligou e foi jogar Mario Kart.

[025] Harvest Moon
Pack-In-Video, 1997
Simulação

023-harvestmoonEis o primeiro jogo da série Harvest Moon, um dos grandes exemplos de jogo estilo ‘ame-ou-odeie’. O jogo consiste em cuidar de uma fazenda, cumprindo tarefas diárias como cultivar verduras e cuidar dos animais, vegetais devem ser regados e animais alimentados diariamente, os produtos devem ser vendidos para se conseguir grana, e grana é necessária para aumentar sua casa e casar com uma garota da cidade, dá até para procriar. Dizem que é extremamente viciante mas eu não dei atenção.

Max Carnage: Esse é um estilo que eu já não gosto. Ainda não entendo porque existem games que nos fazem trabalhar, isso não é divertido😐

[026] Micro Machines
Codemasters, 1994
Corrida

026-MicroMachinse

Esse é pra quem gostava de brincar de corrida de carrinhos com os camaradas, pois o game simula exatamente isso em vários cenários inusitados que representam todo tipo de plataforma que uma criança jamais imaginou que colocaria os brinquedinhos para dar aquele racha. O modo principal que é o de desafio é você contra quatro corredores, que são eliminados aos poucos e substituídos por outros players do game até sobrar apenas você e um rival. Uma parada legal é que com o adaptador do SNES dá pra jogar com até 4 camaradas, quase como nas brincadeiras de carrinho.

Matt: Joguin de corrida visto de cima bem bacana, mas poderia ser mais caprichado, também não faria mal algum se os controles fossem melhores, também o som, mas enfim, um game mediano que diverte.

[027] Math Blaster Episode I
Davidson & Associates, 1994
Educativo

024-mathblaster

Trata-se de um jogo educativo que tenta ensinar matemática para os infantes que não querem largar o video game para estudar tabuada. A história de jogo trata de uma missão de resgate no espaço, que estranhamente está cheio de lixo e fatias de pizza, o jogo tem 4 fases diferentes, a primeira você deve atirar nos pedaços de lixo que contém a resposta certa para a operação matemática na tela da sua nave, na sequência você encarna um etê com um jetpack, eu não entendi como o jogo queria que eu respondesse as equações loucas e terminei não evoluindo além dessa fase.

Max Carnage: É bastante difícil avaliar um jogo educativo, já que pertence a um público bem específico, mas tá aí uma coisa que eu acho legal. Alem de estimular o raciocínio matemático e lógico da criança ela ainda salva o mundo e vira herói!

[028] Snow White Happily Ever After
American Softworks Corporation, 1994
Plataforma

028-SnowWhite

Aluguei este game uma vez quando criança onde eu sequer sabia que Snow White era branca de neve em inglês. Achei MUITO estranho pois o que eu mais tinha jogado no SNES eram plataformas, mas esse era bizonho demais. De tão fácil acabei terminando, e foi divertido até. O que mais irrita nele é que os cenários são excessivamente poluídos com itens como frutas, moedas e outras bobagens que precisa coletar para conseguir passar a fase. Um tempo depois descobri dá para jogar com um personagem macabro (não mais que a própria Branca de Neve) chamado Shadow Man que com certeza não tem no conto infantil, mais parece aquele gnomo do He-Man e selecioná-lo não é nada usual; deve-se ir nas opções. Enfim, aposto que você também pouco ouviu falar nessa produtora…

Matt: Esse eu nunca tinha visto na vida, nem o game nem a produtora. Escolhi para o Max jogar achando que estava trolando ele, mas ele me vem com a informação que já tinha até zerado e pegou na locadora… esse Carnage é mesmo o rei dos plataforms. O game pra mim é muito do feio, parece feito no PAINT e o controle é um sofrimento só, tanto foi o drama que fiz até um vídeo narrando minha experiência enquanto o jogava pela primeira vez, o video aparecerá aqui no blog em breve, estreando minha nova coluna. Aguardem!

[029] F1 Pole Position 2
Human Entertainment, 1993
Corrida

025-F1PP2

Um raro jogo de Formula 1 todo licenciado pela FOCA, você pode encarnar um dos pilotos e equipes da temporada de 1993, menos o nosso saudoso Ayrton, que foi substituído pelo Michael Andretti na McLaren, me pergunto porquê. O game tem um modo de edição, e eu adoro editar, você pode criar um piloto e colocar em qualquer equipe, também usar os pilotos secretos Mansell e Nakajima que ficam ali no banco de reservas. O segundo Pole Position da Human poderia ser melhor se o controle do carro fosse mais amigável, eu lembro que jogava muito esse game no SNES, por ser um fã do esporte desde sempre, e lembro que na época eu era muito bom, hoje mal consigo terminar uma volta sem sair da pista, como os jogos antigos são DIFÍCEIS hoje em dia.

Max Carnage: É só o 29º jogo mas vou reclamar pela milésima vez; muitas opções antes do jogo começar enche o saco! Falando sobre o jogo, os jogos de F1 até hoje tem algo que não sei dizer se é um problema ou uma coisa boa; são técnicos demais. Não adiantar sair em alta velocidade pra ultrapassar os carros, tem que saber controlar essa velocidade pra não dar com os cornos fora da pista.

[030] Syndicate
Bullfrog Productions, 1993
Tactical Shooting / Real-time tactics

030-Syndicate

Eis um game bastante requintado para o Super NES, e que também saiu para mais uma cacetada de plataformas, quase todas da época. Pra ter uma ideia do quão punk é o jogo, ele tem Loading na versão do Super NES e modo de treino (famoso Practice Mode que alguns jogos possuíam). Mesmo com esse arrego achei a mecânica do jogo confusa, talvez pela falta de textos no início. Basicamente você controla um grupo de 4 pessoas armadas (escolhendo andar com o grupo simultaneamente ou com apenas um deles) e sai a caça dos bandidos. Ou nós controlamos os bandidos. Não entendi a história😐 uma coisa que complica é que as munições são bem limitadas.

Matt: É um daqueles jogos de estratégia que eram populares para PC e acabavam sendo adaptados para os consoles, mas no video game parece que o troço perde o charme (e o mouse, que ajuda muito). Eu curtia muito os jogos da série X-COM e esse é bem parecido graficamente, por isso peguei pra jogar e … curti. É preciso ser estrategista e ter bastante paciência, mas é um jogo muito bacana.

2 comentários

  1. Eu tenho o Magical Quest 3, que é épico, uma vez eu emprestei para um colega de escola, e ele me emprestou esse Magical Quest 1. Lembro que fiquei meio confuso quando vi que ele não tinha sistema de passwords, como os dois sucessores.

    E esse Micro Machines eu confesso que não conheço, mas os gráficos e os carrinhos me lembram de um outro game que eu jogava no Dynavision (NES) de um colega meu, em que você controlava os carros e tinha que destruir os adversários trombando com eles. Era muito divertido.

    The King of Dragons também merece destaque.

  2. Sensacional a proposta, estarei acompanhando post a post todos os jogos do melhor videogame de todos os tempos!!
    Valeu Matt.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s