MARATONA SNES – Dia 04 – Jogos que são Super até no Nome

Essa é a nossa Maratona que segue com muito gás e hoje é dia de postagem especial. São 10 jogos catados randomicamente com SUPER no título, o SNES evoluiu vários jogos para os 16 bits usando essa nomenclatura e eis aqui alguns desses.

maratona04

Seguem os títulos.

[031] Super Punch Out!!
Nintendo, 1994
Luta

031-SuperPunchOut
Max Carnage: Juro, antes de jogar a versão do Wii achava esse jogo muito ruim. Quando notei o quanto divertido e desafiante era, vi que era só um puro preconceito que eu tinha com games de boxe. SPO é um game que requer estratégia e muita astúcia para se esquivar e bloquear os ataques adversários (adversários estes, um mais bizarro que o outro) para contra atacar até o famoso TKO (nocaute, acho). Quando pega a manha é viciante, não vai querer largar tão cedo.

Matt: Punch Out é realmente um game caprichado, muito bem executado na proposta, até quem detesta boxe vai curtir esse game. Os adversários divertidos e com golpes estranhos é uma diversão à parte, a jogabilidade é fácil e intuitiva, basta aprender a rotina dos inimigos para vencê-los, não que isso seja uma tarefa fácil, talvez no primeiro circuito, depois o bicho pega!

[032] Super Bomberman 2
Hudson Soft, 1994
Ação

032-SuperBomberman2

Matt: Ah, Bomberman. a tão aguardada versão para 16 bits apareceu e logo foi recebendo sequências, essa é a segunda melhor na minha opnião (o 3 é mais legal por causa dos bichos e do modo 2 players). Gráficos melhorados, cenários interativos, chefes engenhosos e alguns veículos que podem ser tomados dos inimigos tornaram esse Bomberman o melhor já lançado, até aparecer o 3, mas isso é assunto para outra postagem.

Max Carnage: Corro o risco de ser criticado, mas pra mim Bomberman é assim; jogou um, jogou todos. Mas não da pra negar que é divertido bagarai. Esse segundo ainda é bastante simplório.

[033] Super Adventure Island
Hudson Soft, 1992
Aventura

033-SuperAdvIsland
Max Carnage: Na real podiam ter enterrado essa série no NES. As versões do 8 bits é mais animada, fora que a trilha sonora desse é um verdadeiro pé-no-saco. O legal dele é mesmo o desafio que te motiva a continuar e continuar até você descobrir porque estava morrendo tanto.

Matt: Eu fui muito viciado nos 3 jogos dessa série para o Nintendinho, zerava brincando todos eles, aí veio o SUPER e eu já fui cheio de marra para, PERDER MUITO! Esse jogo re-inventou a série, mesmo usando a mesma fórmula é um game muito mais dinâmico e desafiador, além de gráficos excelentes. Você precisa jogar.

[034] Super Baseball 2020
Tradewest, 1993
Esporte/Baseball

034-SuperBaseball2020

Matt: Eu sou daqueles que entende as regras do baseball, e até gosto do esporte, mas em questão de jogos eletrônicos, nunca vi um realmente bacana. Esse aqui veio dos arcades, do fantástico Neo Geo, e a proposta é fantasiar um futuro próximo (daqui a 7 anos será assim?) onde robôs se misturam com humanos para jogar baseball. No arcade o jogo é contado por tempo, você sabe que os fliperamas precisam fazer você gastar dinheiro, não é? Chegando na conversão caseira o jogo ficou mais tranquilo, sem o reloginho te atormentando, e os gráficos foram muito bem convertidos. Uma ótima pedida para quem gosta do esporte com uma pitada de fantasia.

Max Carnage: Concordo com o Matt, a Neo Geo nessa época fazia muito trampo bom e esse jogo ficou muito a cara dos fliperamas.

[035] Super Turrican
Factor 5, 1993
Run ‘n Gun

035-SuperTurrican
Max Carnage: Sabe aquele jogo que você sai pela fase matando todo mundo, se perde, acha muito item raro por acidente e quando morre fica puto porque tem que traçar o caminho todo novamente? Bem-vindo ao Super Turrican. Uma verdadeira troca de tiros onde você mal sabe se está matando ou morrendo.

Matt: Argh, detestei esse jogo logo de cara. A proposta é parecida com Contra, só que com um robô cheio de frescuras e que apanha como um coitado.

[036] Super Star Wars – Return of the Jedi
Sculptured Software, 1994
Ação/Aventura

036-SuperStarWarsJedi

Matt: Filmes convertidos em vídeo games, essa ideia normalmente gera uma bagaceira em forma de jogo, na minha opinião aconteceu isso aqui. Os gráficos são belos e o game segue o plot do filme, mas… péssima jogabilidade, movimentação travada e uma infinidade de pequenos bugs irritantes. Pelo menos tem o Chewie.

Max Carnage: A primeira fase da nave traz uma ideia de que o jogo é animal. E realmente, é um jogo bem simples e  que chega a prender.

[037] Super Castlevania IV
Konami, 1991
Plataforma

037-SuperCastlevaniaIV
Max Carnage: Castlevania é massa. Esse é da época que o jogo ainda era separado por fases, sempre com sua alta dificuldade e o velho chicotinho e velas flutuantes que geram itens. Os inimigos nem se fala, um show de horror.

Matt: Nunca fui um entusiasta da série, comecei a jogar pelo terceiro do Nintendinho, mas vou confessar que esse aqui me prendeu até o final. O esquema de chicotear em qualquer direção e os belos gráficos com a fluida jogabilidade conquistam o jogador de cara na primeira fase, o jogo vai ficando mais desafiador com a evolução das fases e parece só melhorar até o encontro com o Draculóide.

[038] Super Mario Kart
Nintendo, 1992
Corrida

038-SuperMarioKart

Matt: Eis aqui o jogo que provavelmente mais me arrancou horas atrás de um Super Nintendo, principalmente quando amigos apareciam lá em casa. Mario Kart é cartucho obrigatório na coleção de quem tem um SNES, é divertido, desafiador e para todas as idades, não é à toa que gerou tantas versões e até hoje é título esperado em cada novo console da Nintendo. Falando nisso, já lançaram Mario Kart Wii U?

Max Carnage: Por incrível que pareça esse era um dos jogos do Mario que eu menos gostava, mais pelo meu desinteresse por jogos de corrida. Hoje gosto bem mais. E é impressão minha ou os personagens mais pesados levam menos vantagem nas corridas?

[039] Super Morph
Millenium Interactive, 1993
Puzzle

039-SuperMorph
Max Carnage: Porra, mas vão fazer jogo bizarro assim lá na pqp. A ideia desse é simples e objetiva, você é uma bola que pode assumir algumas transformações, cada uma característica, e precisa fazer bom proveito delas para passar dos desafios das fases, até porque tem um limite de transformações.

Matt: Puzzle super bizarro, parece jogo de celular. Você é transformado em uma BOLA que pode se morfar em outras substâncias como gás e líquido para catar engrenagens para o velho cientista maluco que te transformou, valei-me!

[040] Super Nova
Taito, 1993
Shoot’em Up

040-SuperNova

Matt: Shooter genérico com cara de Gradius, você pode escolher entre 3 naves diferentes que na verdade só muda o tiro e a cor, as naves vão ganhando poder com os itens que alguns inimigos deixam, e o jogo é cheio de inimigos vindos do mar, um fetiche bem comum nos criadores desse tipo de jogo, já percebeu?

Max Carnage: Fazendo uma rápida pesquisa aqui descobri que esse jogo é a versão ocidental do Darius Force. Sim, a impressão do Matt não era tão impressão assim, chegou bem perto. Tem que ver que esse tipo de jogo saiu em lotes na época.

1 comentário

  1. Darius pra mim é um dos mais fraquinhos. Não tem um sistema de power-ups como Gradius, nem tem o uso de algo como as Forces do R-Type. O mais legal dele é mesmo esses caminhos e o design dos chefes. Punch-out e bomberman são muito show. Principalmente Bomberman.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s