MARATONA SNES – Dia 21 – Criaturas Aleatórias e Randômicas

Vamos que vamos com as bizarras criaturas que foram soltas hoje na nossa maratona. Segue a lista.

maratona21

[201] Mega Man Soccer
Capcom, 1994
Futebol

201-MegamanSoccer

Matt: Esse jogo tinha tudo para dar errado e deu. Por algum motivo a Capcom resolveu colocar o seu queridinho para bater uma bolinha, talvez pela recente popularidade do esporte nos Estados Unidos, com a copa do mundo acontecendo lá em 1994, vai saber… o resultado é um jogo de futebol que só deve agradar aos fãs mais hardcore do blue bomber, mesmo assim só para zuar.

Max Carnage: Dá carrinho, rouba a bola, leva carrinho, perde a bola, dá carrinho e anda uns 3 passos com a bola… porra Capcom! Não é assim que tu vai me cagar o nome do Mega Man.

[202] Aero the Acro-bat 2
Sunsoft, 1993
Plataforma

202-Aero2

Max Carnage: Aero 2 é bastante diferente de seu antecessor; pra começar, no primeiro game tinha-se objetivos pra cumprir como destruir blocos ou mergulhar em argolas. Agora aqui é um simples plataforma que só basta achar a saída e enfrentar os raros chefes. Tem-se um fato curioso no final do game, onde o grande piloto Ayrton Senna é homenageado nos créditos finais.

Matt: Transformaram o Aero em um plataforma genérico, acabaram os desafios e todo aquele charme do circo, uma pena.

[203] Ultima: Runes of Virtue II
Origin, 1994
Aventura

203-RunesofV

Matt: Um jogo de aventura com gráficos bem peculiares, estilão PC dos anos 90 com uma perspectiva que te deixa em dúvida sobre muitas coisas. Escolha um personagem da cara amassada e vá resgatar o prefeito.

Max Carnage: Se você jogar isso hoje vai pensar “pqp, que jogo mais antigo!”, mas não vejo muita diferença comparado a muitos RPGs onlines pra PC de hoje em dia.

[204] Alien VS Predator
Actvision, 1993
Beat’em Up

204-AvP

Max Carnage: Quando o Predador e o Alien se encontram no mesmo universo, preteou o olho da gateada. Encontro que se deu primeiramente nos quadrinhos e foi, aos poucos, se adaptando a cultura pop, ganhou alguns games como esse do SNES que podia ser bem mais caprichado. Primeiro porque é muito devagar, a maioria dos inimigos vivem caindo com apenas um golpe.

Matt: Jogo feio que nem te dá opção de que lado jogar, eu queria ser o Alien e eles nem deixam.

[205] The Simpsons: Bart’s Nightmare
Acclaim, 1992
Ação

205-BartsNightmare

Matt: Joguinho bem bacana e difícil, protagonizado pelo Bart, onde ele cai no sono enquanto estuda ou faz um trabalho da escola e nesse sonho ele precisa encontrar 8 páginas para tirar nota boa e orgulhar sua família. O jogo é dividido em duas partes, na primeira Bart caminha pelas ruas e precisa “entrar” nas páginas que aparecem aleatoriamente voando pelas calçadas, entrando nas folhas existem 5 mini-games que são praticamente outros jogos para você resgatar as páginas. Bem interessante e bem feito.

Max Carnage: Lembro que uma vez comprei essa fita achando que fosse o Virtual Bart que eu gostava de monte. Mas acabei me simpatizando pelo Bart’s Nightmare sem querer, apesar de que pra mim os games dos Simpsons mereciam ser bem mais caprichados nessa época.

[206] Cool Spot
Virgin Games, 1993
Plataforma

206-CoolSpot

Max Carnage: Cool Spot, a chapinha massacote da 7up, é mais um a estrear com games de plataforma nos 16-bits. Seu game é simples; as fases tem por objetivo coletar as chapinhas e chegar ao final para liberar a chapinha fêmea e pronto. Simples, divertido e sei lá.

Matt: O mascote do refri Seven Up, que nasceu em 1987 (o mascote) ganhando pernas, braços, boca e um óculos escuro, daí alguem da Virgin resolveu que ele era tão legal e radical que merecia ter o próprio game, deu nisso aí.

[207] Metal Warriors
LucasArts, 1995
Ação/Plataforma

207-MetalWarriors

Matt: Apesar da semelhança brutal, esse jogo não tem nada relacionado com Cybernator, a não ser por terem sido publicados pela mesma softhouse, a Konami. Esse jogo com nome de revista de banda de rock é muito bacana e viciante, você controla um mech, que já é um ingrediente básico para se fazer um jogo BOM, e além de sair explodindo geral com ele pode pular fora e seguir minusculamente à pé e montar em outro mech que encontrar, são 6 sabores diferentes para se deliciar e explodir tudo, além disso você ainda encontra armas para acoplar temporariamente no seu gigante de metal e se achar.

Max Carnage: Um criativo jogo de robôs onde você tem a opção de trocar a máquina e tem várias armas a disposição em cenários estelares e dificuldade típica desse tipo de game. Tipicamente para te ferrar.

[208] Demon’s Crest
Capcom, 1994
Ação/Plataforma

208-DemonsCrest

Max Carnage: Diretamente do Ghouls and Ghosts, o diabinho toca o terror em fases que a princípio são lineares, mas depois da terceira você voa em um mapa e escolhe seu destino. Demon tem vários poderes ao longo do game e se transforma e outras criaturas, cada uma garantindo uma habilidade diferente. É um jogo…. do capeta!

Matt: O terceiro jogo protagonizado por aquele diabinho vermelho alado do Ghouls ‘n Ghosts, ele mesmo, aquele bicho chato. Firebrand ou Red Arremer, tanto faz, nesse aqui ele deve encontrar as crests e até se transformar em outros demons para ser feliz. Bom pacas.

[209]
Elite Systems, 1993
Plataforma

209-StarTrekFuturesPast

Matt: The Next Generation é uma série de TV gringa que rendeu 7 temporadas e alguns games, esse de SNES incluso. É mais um daqueles games que só serve para quem é muito fã da série e entende tudo do assunto, eu passei adiante.

Max Carnage: “é muito chato.” Comentários que Matt imaginou que eu fosse fazer e acertou na mosca. Sei lá, cada um tem seu gosto e tal mas não consigo entender os fãs de Star Trek.

[210] The Flintstones: The Treasure of Sierra Madrock
Taito, 1994
Plataforma

210-FlintstonesSierra

Max Carnage: Yabadabadoo!! Mais um game da família das cavernas (o primeiro no SNES) semelhante aos que saíram para NES e Mega Drive, com um diferencial que nesse você joga com Fred e Barney alternadamente, em vários mundos, rolando um “dado-pedra” para caminhar pelo mapa e entrar nas fases. A maioria das batalhas contra os bosses são corridas variadas. Muito massa, principalmente multiplayer.

Matt: Muito bacanudo e legal para jogar com um miguxo, se for sozinho você controla os dois mocorongos alternadamente e disputa sozinho quem vai ser o novo presidente daquele clube que os caras usam um chapéu de búfalo azul, ou algo assim.

Não deixe de ver o vídeo do dia!

4 comentários

  1. Aero The AcroBat 2 eu particularmente achei mais divertido que o primeiro. Uma coisa que ajudou muito foi a trilha sonora, que é sensacional.

    Bart’s Nightmare é muito legal. Só que às vezes eu ficarra irritado quando passava mais de cinco minutos andando pela rua e não aparecia a bendita página. Fora que a dificuldade é um tanto quanto… Alta.

    Cool Spot eu lembro de jogar pra caramba no emulador. Só que a primeira vez que eu zerei, lembro que surgiu uma mensagem dizendo que aquele não era o verdadeiro final, e que eu devia jogar novamente e pegar todos os bônus. Sério, eu odeio quando jogos fazem isso.

    Demon’s Blazon eu alugava. Eu não sei porque, mas pessoalmente eu não acho um game tão difícil como dizem. Fazer 100% nele é um desafio e tanto, porém.

    The Flintstones: The Treasure of Sierra Madrock me trás lembranças maravilhosas. Eu ganhei esse cartucho aí como presente dos meus pais na minha formatura de 4ª série. Foi numa visita que fizemos em um mercado na cidade vizinha Assim que cheguei em casa, fiquei uns 15 minutos tentando fazer a fita pegar, e nada.

    Quando ela finalmente funcionou, corri chamar meu amigo de rua e ficamos um bom tempo jogando. Aí naquela noite eu fui pra escola pra fazer a cerimônia de formatura, que na verdade era só cantar algumas músicas. Inclusive, tava chovendo muito naquele dia.

    Outra coisa legal é que no natal daquele mesmo ano, os meus parentes se reuniram aqui em casa, e eu e meus primos ficamos jogando Super Nintendo a noite inteira. Inclusive essa fita aí. O problema é que eu caí no sono primeiro que todo mundo xD.

    Putz, desculpem o texto. Esse jogo me faz voltar no tempo.😛

  2. Que nada, Max, as boas lembranças a gente nunca esquece! E quer lembranças melhores do que as da nossa infância Gamer?

    De todos os games da lista, acho que o único que joguei em cartucho foi o Metal Warriors… meu irmão me encheu durante meses para alugar (eu não queria de teimoso, achava que o game era ruim… me arrependi amargamente pelo tempo que perdi) e gerou ótimas competições em casa. Também joguei o Cool Spot mas para Mega. O resto, só no emulador mesmo.

  3. De todas as maratonas que li até agora, esta é a melhor, por ter Demon’s Crest e Metal Warriors na lista. Valeu.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s