MARATONA SNES – Dia 30 – Especial Multiplayer em Terras Catarinenses

Bem vindo ao dia 30 da maratona, como se completássemos 1 mês jogando todo dia 10 games de SNES. Fantástico, não? Para comemorar, eu, Matt, viajei 2.892km até Florianópolis para jogar esses multiplayers com o meu brother Max Carnage (mentira, eu fui até Santa Catarina por outro motivo, mas não poderia deixar passar essa oportunidade única).

Então, vamos ao especial, com direito a 2 vídeos hoje, já pedindo perdão pela qualidade do áudio, pois tivemos que improvisar uma webcam para captar nossas vozes e ficou uma bosta, mas tá valendo o momento!

maratona30
[291] Street Fighter II Turbo: Hyper Fighting
Capcom, 1993
Luta

291-SFIITurbo

Matt: Vamos começar jogando um clássico, ou quase isso. A Capcom sentiu no bolso o sucesso dos Streets de rodoviária e resolveu lançar uma versão oficial com alguns tweaks que deixavam o jogo um tanto diferente e um pouquinho mais rápido, mas sem o charme e o glamour dos hacks das estações de ônibus do nosso Brazil e vizinhos, resultado foi esse aí, Ryu de kimono cyan e Blanka dourado. Pelo menos os 4 bosses agora são jogáveis, para apelar muito com o parafuso do Bisonho.

 Max Carnage: Essa é mais uma das 300 versões de Street Fighter II. O Mortal Kombat já estava quase na quinta edição (exageros a parte).

[292] Donkey Kong Country 3: Dixie Kong’s Double Trouble!
RARE, 1997
Plataforma

292-DKC3

Max Carnage: Vééééi, esse é pra fechar a franquia e quase fechar a biblioteca do Super NES com chave de ouro. DKC3 trás uma evolução muito grande ao relação ao seu antecessor, primeiramente porque agora temos veículos para nos deslocarmos por um mapa contendo os “mundos”, e com uma maior interatividade. Os colecionáveis está ainda mais complexo; agora são moedas bonus, moedas DK e passarinhos chamados “banana bird”. O lance de mundo secreto continua, mas está mais secreto ainda em relação ao antecessor e… a buzina dos veículos tocam la cucaracha com um truque!

Matt: Mais um queridinho do Max e realmente mais uma bela amostra de como fazer um jogo incrível num console 16 bits. O que estraga é o bobalhão do chipanzé bebê crescido que eu sempre esqueço o nome de tão relevante.

[293] The Combatribes
Technos Japan, 1993
Beat’em Up

293-Combatribes

Matt: Mas que capa horrorosa, era melhor colocar um screenshot da tela de abertura ou copiar o flyer do arcade. Mas enfim, Combatribes é um difícil beat’em up que migrou dos arcades e chegou para descabelar a galera acostumada com a moleza de Final Fight e seus clones. Os personagens grandes e o estilo mais violento de lutar chamou atenção principalmente dos gamers mais idosos.

Max Carnage: Esse jogo é praticamente o Double Dragon, só que um pouco pior.

[294] Super Bomberman 3
Hudson Soft, 1995
Ação

294-BM3

Max Carnage: Para muitos, mais do mesmo, inclusive na América do Norte que se limitou até a segunda edição da franquia. Este ainda sobreviveu nas bandas da Europa, mas também foi o último por lá. Bom, se é Bomberman pode confiar que é bom.

Matt: Meloraram umas coisinhas e pioraram outras ali e aqui, mas Bomberman é sempre Bomberman, aqui o empenho maior foi em relação ao modo batalha, que parece ser o preferido da galera, tanto que os lançamentos mais modernos só tem batalha mesmo.

[295] Biker Mice From Mars
Konami, 1994
Ação/Corrida

295-BikerMice

Matt: Conheci primeiro esse game para depois ver o desenho, e como era divertido isso! Uma opção cartunesca ao estilo consagrado Rock ‘n Roll Racing com muita diversidade de fases e personagens bacanas, bem diferentes no modo de pilotar. Um bom game de corrida misturado com ação e essa visão isométrica que é um charme à parte.

Max Carnage: Querido da galera que gosta de um jogo de corrida, conheci esse já nos emuladores. É bem legal mesmo, por ser uma mistura de corrida com porradaria (como RnR Racing, Mario Kart, Twisted Metal…)

[296] Top Gear 2
Kemco, 1993
Corrida

296-TG2

Max Carnage: Top Gear 2 particularmente é o meu preferido da série. Acabou aquela chatice de ter que parar no box de tempo em tempo, aqui as coisas fluem mais diretamente. Os ambientes estão mais variados tendo corridas em praticamente qualquer tipo de terreno, e os carrinhos são bem coloridos, tipo no jogo da vida.

Matt: Primeira grande evolução foi no modo single player, quem é forever alone não precisa mais jogar sozinho e ter que aturar um carro do computador na tela de baixo, apesar dessa opção ainda existir aqui, uma boa sacada para ninguem se sentir sozinho. O resto ficou por conta dos upgrades para o seu único carro e a opção de mudar a cor do bicho. Jogo bom que ficou melhor.

[297] Super Soccer Champ
Taito, 1992
Futebol

297-SSChamp

Matt: Mais um oriundo dos arcades e que nos irrita profundamente tentando ser cômico. Colocaram um juiz gordinho que vive levando tombos pelo gramado. Após escolher sua saleção (tem umas 8 só) você também escolhe um jogador para ser o bonzão do time, o jogo ainda tem 3 modos de campeonato de pênaltis que não sei porque existe.

Max Carnage: Esse é violento. Só no carrinho o tempo inteiro, quase que automaticamente.

[298] Aero Fighters
Video System, 1993
Shooter

298-AeroFighters

Max Carnage: Clássico do estilo, o game também conhecido por muitos como Sonic Wings sai do Arcade pro console da Nintendo. O que mais chama a atenção nele são seus pilotos bizarros como golfinho e robô.

Matt: Um bom jogo de navinha, genérico ao extremo mas divertido, tenta ser engraçado também com pilotos bizarros e frases de vitória sem sentido, o chefe final é um gorila espacial.

[299] Andre Agassi Tennis
Radiance Software, 1994
Tênis

299-Agassi

Matt: Jogo de tênis é tudo parecido, esse foi assinado pelo rival do Pete Sampras e do Patrick Rafter nos eighties que é também conhecido como ex da Brooke Shields. Pelo menos ganhou um jogo de video game.

Max Carnage: Jogos de Tenis são legais. Não tem muito o que inovar, mas são boa diversão.

[300] WWF WrestleMania – The Arcade Game
Midway, 1995
Luta Livre

300-WerstleMania

Max Carnage: Sabe esse teatrinho todo que você via na tv nos anos 90? Jogue este verdadeiro circo, com palhaço e tudo para controlar.

Matt: A Midway adora jogos de luta com personagens digitalizados, aqui ela apostou num queridinho dos americanos e vendeu bastante, foram lançadas várias versões por aí. Só faltaram os Fatalities.

Videos do dia, na verdade é um único vídeo dividido em 2 partes. Curtam!

Parte 2:

4 comentários

  1. Putz… Olha, se eu tivesse que escolher um dos meus mais ou menos 26 cartuchos de SNES como o que mais me divertiu na infância, acho que seria obrigado a escolher o Donkey Kong Country 3.

    Os dois primeiros são muito bons, a série em si é fantástica, mas eu passei muito mais tempo procurando segredos nesse jogo. Fazer 103% nele pela primeira vez foi algo inesquecível.

    Street Fighter 2 Turbo é muito bom, mas a versão Super é bem mais completa. Detalhe que dá pra escolher as cores originais dos personagens usando Start se não me engano.

    Top Gear 2 também é meu favorito da franquia. O primeiro é excelente, eu tinha num daqueles cartuchos 8 in 1, mas o segundo eu jogava demais com meu amigo de rua, e foi um dos meus primeiros jogos emulados no PC, então tem um valor especial pra mim. O Top Gear 3000 eu não joguei muito.

    Aero Fighters eu peguei uma ou duas vezes emprestado, mas conhecia pelo nome “Sonic Wings”.

    PS: De futebol eu só conhecia o International Superstar Soccer e o Deluxe. Não sabia que tinha tantas opções pra SNES. xD

    Continuem com o excelente trabalho!

  2. Street Fighter 2 Turbo é muito rápido, não curto muito esse

    Sonic Wings como jogo de nave genérico? hã? todo mundo que já jogou um Ace Shooter, já escolhe de cara esse game para jogar.

    Top Gear 2 acho o mais dificil da série, tem pista que é impossível ganhar em primeiro…não obrigado.

    Bomberman 3, eu e meu irmão adoravamos o multiplayer desse jogo.

    DKC 3 é um dos melhores da Saga, embora injustiçado. e gosto mais do Kiddy Kong que o DK…é mais fácil ensinar um elefante a dançar o Lago dos Cisnes enquanto o mesmo resolve a formula de Heron, do que fazer o DK acertar um pulo nos penhascos do seu jogo.

    e Wrestlermania, adorava quando garoto. e prefiro luta livre do que essa modinha de UFC.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s