MARATONA SNES – Dia 31 – Saúde é o que Interessa o Resto não tem Pressa

Buenas, estamos de volta com a nossa incansável maratona, que parece não ter fim… mas ela tem fim e estamos a quase 50% de completar essa incrível viagem por todos os títulos ocidentais do nosso console querido. Vamos que vamos hoje com uma novidade, é a estréia do novo comentarista de videos, o Alfredo, não deixe de conferir no final do post. E ainda a participação do tão querido pelo público, Poderoso Castiga! Não perda.

maratona31

[301] Phalanx
Kemco, 1992
Shoot’em Up

301-Phalanx

Matt: Vejam só essa capa, certamente top 3 das piores capas de todos os tempos, perdendo para aquela do Megaman, é claro. Mas Phalanx não tem nada a ver com banjo e idosos caipiras, é um shoot’em up até legal, com umas novidades que a gente nçao vê sempre, tipo a nave pode acumular os diferentes tiros que a gente coleta pela fase – que por sinal são bem compridas – e ainda podemos “gastar” nosso tiro especial usando um desperation move. Nota 7 pra ele.

 Max Carnage: Sério, acho que quem fez essa capa é um cara que pensa massa. Aqueles que são vidrado num rock progressivo e adoram um Pink Floyd.

[302] Brain Lord
Enix, 1994
Action RPG

302-Brainlord

Max Carnage: Sabe aquele videogame que você jogou a vida toda e sempre descobre uma surpresa boa? Brain Lord é massa pra c@#$%#@. Ele lembra assim, uma mistura de Zelda com Pateta… meio como um Alundra. RPG de ação que tu vai com o herói por algum objetivo lá e vai fazendo upgrade dos equipamentos. Você resolve uns puzzles como no jogo do Pateta ao longo do game, e quando você morre volta pro último lugar onde salvou, mas com a metade da grana que tinha (tipo no Dragon Quest).

Matt: Um action RPG muito legalzinho, pelo menos a primeira meia hora que joguei achei muito legal e viciante, o lance de melhorar as armas faz você grudar no game e a ação é bem rápida, vale experimentar, algo vindo da Enix é certeza de sucesso.

[303] Street Racer
Vivid Image, 1994
Corrida

303-StreetRacer

Matt: Uma produtora desconhecida pegou carona no Street Fighter e no sucesso do Mario Kart para lançar um mash up com personagens malucos criados do nada, ainda para tentar agradar mais gente enfiou goela abaixo um modo batalha e um estranhíssimo (e péssimo) futebol. No começo é um jogo de corrida interessante, com power ups e a possibilidade de socar os adversários que estão ao lado, além de um ataque especial exclusivo de cada boneco que atrapalha os outros. Se fosse feito com personagens do Street Fighter aposto que seria um sucesso.

Max Carnage: Pra quem se cansou do Mario Kart, eis outra boa opção.

[304] Hammer Lock
Jaleco, 1994
Luta Livre

304-Hammer

Max Carnage: Jogo japonês de luta livre que aposta em animações em tempo real durante as lutas, focando os golpes de perto como na TV. Tem vários modos como exibição e campeonato e vários personagens, entre eles um muito parecido com o Zacarias dos Trapalhões.

Matt: A Jaleco sempre inovando, dessa vez transformando um que poderia ser mais um genérico jogo de wrestling numa coisa diferente, isso porque a tela é dividida em três, no meio a ação acontece no ringue, nos terços de baixo e cima você acompanha um close da movimentação e dos golpes de cada lutador, quando o golpe é mais elaborado a cena toma 2/3 da tela, enfim, uma opção interessante e obscura para quem curte o gênero.

[305] Jungle Strike
Gremlin Interactive, 1995
Ação

305-JungleStrike

Matt: A sequência do queridinho Desert Strike, tudo a mesma coisa só que agora com missões mais elaboradas e difíceis.

Max Carnage: Bom. BOM.

[306] Rex Ronan: Experimental Surgeon
Raya Systems, 1994
Educativo

310-RexRonn

Max Carnage: Game onde você é um médico e dentista e com uma super arma tem que salvar os pacientes, por dentro, eliminando resíduos, células cancerígenas, robôs (?) e outras coisas, indo de uma área a outra do organismo numa navezinha. A proposta é muito boa mas o controle é muito RUIM.

Matt: Game bizarro com o Neymar na capa, jogo para mostrar aos infantes que fumar é ruim e destróis seus dentes além de trazer robôs e satélites loucos para dentro do seu organismo. Vish.

[307] Oscar
Flair Software, 1996
Plataforma

307-Oscar

Matt: Vem aí uma criatura bizarra chamada Oscar, ele tem esse nome porque vive no mundo do cinema e precisa coletar estatuetas e claquetes para vencer, tudo com um controle horroroso, e vozes digitalizadas que vão dar dor de cabeça, faça um mix disso com um personagem feioso e pobre em animação, ei-lo.

Max Carnage: Peraí, pra comentar esse jogo vou trazer ele, que é sucesso no Brasil todo; vem pra cá, Poderodo Castiga! Tudo bem?

Poderoso Castiga: aaaaaaaaaaaaaaAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHH……………………………………………………………………………………… …………………………………………………………………… ……….. aaaaaaaaaaaaaaaaa…………….. ……………………………………………………………… MAIS OU MEEEENOS! Mais ou menos, p$rr@, ontem fiquei chateado pra c@r#$#, tava com um problema lá em casa… a p#$@ da pia começou a vazar e p$%, começou a sair aquele líquido preto, aquela água suja, e era água suja pra c@r#$, não dava nem pra andar na cozinha. A água já saia na rua. Aí chamei o proprietário né, moro de aluguel, falei “ó, tu tem que arrumar essa merda.”. Ele não quis mandar arrumar, já peguei o filho da p#$@ e amarrei numa cadeira. Disse “mas como tu não vai mandar arrumar essa merda?” Já peguei um aparelho de barbear, e dei na gengiva dele. Ficou sangrando, mas sangrou pra c@r@$%, saía mais sangue da boca dele do que da p$%$ da pia. Aí ele ficava gemendo, e não parava de gemer. Já peguei um ferro de solda, e dei na garganta dele. Que é pra aprender a não me dizer mais não. Mas de resto, tá tudo bem. P#$$@, mas esse jogo é ruim pra c@r@$#. Pode ver que já vai direto ao assunto. Tu mal liga o videogame e já tá jogando. Os efeitos sonoros, as vozezinhas que botaram é uma bosta. Seria melhor que nem tivesse. E as telas de jogo são mais poluídas que o rio Tietê, tem coisa pra c@#@%¨$ na tela. Se eu pego o filho da p#$@ que fez esse jogo, dou uma porrada na cara dele que vai quebrar todos os dentes.

[308] Power Drive
U.S. Gold, 1994
Corrida

308-PowerDrive

Max Carnage: Simples, porém muito divertido joguinho de rally visto de cima (como Rock N’ Roll Racing, mas sem a porradaria). Você escolhe o carro e sai disputando corridas para fazer dentro do tempo de qualificação, e depois usa a grana para reparar o veículo.

Matt: Jogo bacaninha com cara de Mega Drive mas tá valendo. Aqui vale acumular dinheiro de vitórias e achados no asfalto para recuperar os danos do veículo e no futuro comprar novos carros para disputar em categorias maiores. Muito legalzinho mesmo.

[309] Sensible Soccer
Sensible Software, 1992
Futebol

309-Sensible

Matt: Jogo super sensível, melhor nao xingar porque pode ferir os sentimentos. Trocadilhos infames à parte, esse jogo é bem parecido com o famoso Stryker que já passou por aqui, só que colocaram clubes e o gráfico é um tanto diferente, mais cartoon, coisa e tal, mas na essência é o mesmíssimo jogo.

Max Carnage: Aiiii, uuiii, sensível. Vááaa tomar no olho do cu. Jogo de merda, não descobri nem como se faz pra jogar isso.

[310] Packy & Marlon
Raya Systems, 1995
Educativo

306-PackyMarlon

Max Carnage: Outro game educativo. Esse é uma versão mais infatil do Captain Novolin, aquele game que ensina a combater a diabetes. Você vai com um elefantinho buscando itens que os diabéticos podem comer e respondendo perguntas sobre diabetes. Mais uma vez, nada contra mas o controle também é péssimo.

Matt: Por acaso caiu mais um jogo educativo da mesma produtora nesse dia, mas vamos lá, tudo que o Max disse.

Video do dia, a tão aguardada estréia da voz marcante de Alfredo, o gamer.

3 comentários

  1. Eu cheguei a alugar o Oscar na locadora da minha cidade. Eu era bem criança então, meio que qualquer jogo tava valendo.

    Rex Ronan eu joguei pela primeira vez num cartucho 8-in-1 na casa do meu primo. Só fui jogar pra valer por emulador. Não curti muito.

    Power Drive é um jogo que eu acho meioooooooo……………………….Mais ou menos, mais ou menos… (Minha imitação do Poderoso Castiga é horrível).

    Se não me engano a versão PAL desse game tem o português como idioma selecionável.

    Me deu vontade de experimentar esse Street Racer e o Brain Lord. Chegando da faculdade esta noite, já vou ter algo para testar.🙂

  2. sobre a capa de Phanlanx….concordo, o cara deve ser fã de Pink Floyd. acho

    dizem que Brain Lord é do baralho, mas já tenho uma porrada de Rpgs que comecei e ainda nem terminei. e olha que fiz uma lista desses para zerar em 2013 no começo do ano e sequer zerei metade da lista.

    Street Racer…achei esforçado. é legal para variar de Mario Kart. eu e meu irmão (na época quando não era uma vítima zumbi de LoL) jogavamos muito na locadora.

    e esse Hammerlock é um achado, eu mesmo o peguei a duas semanas atrás e até gostei, e tempo para joga-lo? é por isso que acho bom ser retrogamer, pois pode se achar pérolas nas Roms e que ninguém bota fé.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s