MARATONA SNES – Dia 34 – Aquela Rivalidade de Sempre

A primeira postagem de 2014 e é o trigésimo terceiro dia da nossa maratona interminável. Vamos hoje dar uma olhada em alguns jogos que talvez você nunca tenha ouvido falar ou preferia nunca ter conhecido… Enfim, segue a jogatina.

maratona34

[331] Final Fantasy Mystic Quest
Square, 1992
RPG

331-FFMQ

Matt: Mystic Quest foi criado para ser uma versão “de entrada” para aquele jogador que nunca jogou um RPG e gostaria de começar a experimentar. Uma tentativa de popularizar o gênero no lado ocidental do planeta. A jogabilidade é similar aos clássicos com a inserção de movimentos de RPG de ação no meio da história, o personagem salta e ataca no mapa, interage com objetos e tudo mais.

 Max Carnage: Final Fantasy mais leitinho com pera.

[332] Tom and Jerry
Hi-Tech, 1992
Plataforma

332-TomJerry

Max Carnage: Na onda do filme, eis que nasce um game da dupla briguenta nos primórdios do Super NES. O game é bem simples, você controla o rato em estágios de 3 fases e ao final tem-se o Tom pra duelar. Divertido, mas outros plataformas tiraram o brilho dele no console ao passar dos anos.

Matt: Jogo simplório e rapidinho, facinho também, para o público infante e fãs do cartoon.

[333] GunForce
Bits Studio, 1992
Shooter

333-GunForce

Matt: GunForce é um arcade da Irem que é até legalzinho e bem feitinho, mas aí colocaram a conversão para o SNES nas mãos da desconhecida Bits Studio, e eles conseguiram arruinar um bom clone de Contra, deixando o jogo lentíssimo, cheio de bugs e scroll zuado. Que dó, que dó!

Max Carnage: Lento é pouco. E tem mais, Y pula. Até quando véi?

[334] Last Action Hero
Sony Imagesoft, 1992
Beat’em Up

334-LAH

Max Carnage: Puta merda, que jogo bosta. Se resume em dar soco nos caras que estão com taco de baseball e chute nos caras que estão com faca. Vai assim até cansar ou até morrer, pq a dificuldade vai aumentando bruscamente. Típico de jogo merda feito as pressas, vão deixando ele impossível de se avançar pra não ver a cagada que foram obrigados a fazer mais pra frente (tal como Robocop 3, De volta para o futuro 3 do Mega Drive…).

Matt: Jogo baseado em filme mais ou menos, feito nas coxas, ruim demais… E nem adianta tentar me convencer do contrário.

[335] Lamborghini American Challenge
Titus, 1993
Corrida

335-Lambo

Matt: O que muita gente não sabe é que a Titus tinha uma “Franquia” de jogos de corrida chamada Crazy Cars, e esse aqui é o mesmíssimo Crazy Cars 3, ligeiramente melhorado, com Lamborghini Diablos e trilha sonora do Jazz Fusion, sim, aquela banda famosinha de jazz-rock que você não conhece.

Max Carnage: Jogo chato que te faz escolher 15 mil coisas antes de começar. E corrida chata.

[336] Krusty’s Super Fun House
Acclaim, 1992
Puzzle

336-Krusty

Max Carnage: Hi kids! O palhaço judeu mais famoso do mundo dos desenhos animados chegou, trazendo alegria pra você que gozou. Enfim, mais um dos 300 jogos dos Simpsons para os 8/16-bits, porém esse é diferente. Aqui você ajuda o bode riso a montar estratégias nas fases para os ratinhos marcharem até a máquina mortífera que acaba com eles, comandada pelos personagens do desenho. É mais divertido do que eu achava antes, e com certeza o game mais fácil dos Simpsons que já vi.

Matt: Jogo interessante misturando um quebra-cuca simples de resolver com os personagens amarelos e seus anti heróis, vale a jogadinha.

[337] NBA Live ’95
Electronic Arts, 1994
Basquete

337-NBA95

Matt: E então chegou a vez do basquete entrar na onda da EA de um jogo por ano com algumas melhorias até o mundo acabar.

Max Carnage: Mais do mesmo.

[338] Liberty or Death
KOEI, 1994
Estratégia

338-Liberty

Max Carnage: Liberty or Death narra as putarias que ocorreram lá nas antigas entre os Estados Unidos e a Inglaterra. Daí né, você escolhe o lado que quer defender e vai fazendo as paradas, recrutando soldados, comprando comida, alocando navios…

Matt: Tipo aquele jogo que já passou por aqui, todos de estratégia da Koei, você conhece, ou não.

[339] Power Piggs of the Dark Age
Radical Entertainment, 1996
Ação/
Plataforma

339-PowerPigs

Matt: Se tem uma coisa que eu não consigo gostar é joguinho que tenta fazer graça na tora. Aqui veio uma produtorazinha qualquer e inventou uns porcos humanóides na era medieval que tentam o tempo todo serem engraçados e … joguei duas fases e cansei.

Max Carnage: Gráficos legais, personagens simpáticos e boa jogabilidade, esse é diversão garantida.

[340] Taz-Mania
Sunsoft, 1993
Corrida

340-Taz

Max Carnage: Blahbjashhfiopqwnkeomçv. O demonho mais carismático dos desenhos teve jogo de plataforma legal pro Mega Drive e pro Master System, mas no SNES ganhou essa bizarrice que consiste em sair pelas estradas atrás de pintinhos pra devorar. É, tem um número X de pintinhos cada fase e você tem que comer eles e mais outras coisas desviando dos veículos e armadilhas. Legal mas muito repetitivo.

Matt: Na época do lançamento me empolguei com as fotos na revista, gáficos bacanas, proposta inovadora e tal… mas na hora de jogar, brochante.

No vídeo do dia, a volta do Matt às narrações.

3 comentários

  1. Final Fantasy Mystic Quest foi o primeiro jogo da franquia que consegui zerar. Gosto como ele foge um pouco do tradicional da franquia e aposta em puzzles nos cenários envolvendo as diferentes armas do protagonista num estilo parecido com Zelda. Bem legal.

    Tom & Jerry eu gostava muito quando criança. Bem criança mesmo. Chegava a alugar numa locadora de esquina. Faz tanto tempo que nem lembro mais dessa locadora direito. Até que o adquiri no meu cartucho 8 in 1.

    Lamborghini (Até hoje não sei escrever isso direito) era outro do meu cartucho 8 in 1. Antes disso eu tinha num cartucho único, mas parou de funcionar. Confesso, as corridas são bem repetitivas, mas fazer apostas é até legal. Uma coisa que descobri esses dias atrás é que dá pra usar a Super Scope para ativar um novo modo de jogo.

    Só por curiosidade, meu cartucho 8 in 1 tem Tom & Jerry; Super Mario World; James Bond Jr.; Asterix; Top Gear; Lamborghini; F-Zero e Pit Fighter.

  2. Final Fantasy Mystic Quest: Desprezo essa porcaria e me recuso a chamá-la de Final Fantasy.

    Tom & Jerry: Realmente divertido, mas enjoa bem rápido. Zerei num cartucho 10 in 1 dos meus primos.

    Gunforce: Bem decente até (apesar dos “pulos Castlevania” do personagem principal), teve o azar de ser lançado junto com muitos outros shooters.

    Last Action Hero: Tentou aproveitar a fama do Schwarzzeneger, mas não convence ninguém.

    Lamborghini American Challenge: Tem suas vantagens, como o fato de poder dirigir um Lamborghini como se fosse um carro de corrida normal (impossível sem a grana do Bill Gates) e jogar com o mascote da Titus com um código, mas é inferior à maioria dos outros games de corrida. Também joguei no cartucho 10 in 1 dos meus primos.

    Krusty’s Super Fun House: Vivia querendo jogar esse game quando criança (por causa do desenho), mas quando consegui me decepcionei.

    Liberty or Death: Genghys Khan II com o George Washington Bush no lugar do Khan.

    Power Piggs of the Dark Age: Até que tem uma jogabilidade boa, mas não gostei muito dos gráficos.

    Taz-Mania: Até que eu gostei desse (era diferente do Taz-Mania de Mega Drive e do Escape from Mars), mas ele também enjoa rápido. À propósito Carnage, só por curiosidade, o passarinho que o Taz persegue não é um pintinho e sim um Kiwi australiano.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s