A Saudosa Época das Locadoras

locadorasbnn

Quem tem mais de 30 anos ou por volta disso, com certeza já viveu o momento: sexta-feira ou sábado eram dias sagrados de se ALUGAR FITAS! A semana inteira você planejava, sonhava, idealizava esse momento especial. E quantas não foram as vezes em que, ao entrar na locadora, já íamos correndo na prateleira onde estavam os jogos do seu console e logo notavam que o jogo preterido já havia sido alugado? Ou, pior ainda, a caixinha estava ali, mas com uma etiqueta grande escrito “ALUGADO”?

Pois bem, esse é o tema do artigo de hoje, a Saudosa Época das Locadoras!

Sexta-feira, um típico dia que todo mundo gosta, principalmente por se anteceder ao final de semana, dias de descanso com a família, dia de passear, sair de cas… opa! Não para um gamer da década de 90! Em 1991, 1992 e arredores, pra quem gostava de videogame, a sexta-feira (e também o sábado) eram sagrados! Era o dia de ir na locadora mais próxima e pegar um, dois, três ou quantos mais jogos o bolso dos seus pais suportasse! Era a garantia de um final de semana cheio de diversão, desafio e alegria! Sim, o dia de alugar fita era uma felicidade só, somente interrompida quando pegávamos algum jogo ruim só por ter ido na idéia da capa…

loca1

nada como chegar na locadora e topar com seu jogo favorito disponível

No meu caso, sempre costumava alugar duas ou três fitas na sexta, pra poder entregar na segunda feira. E, geralmente, eu estava lá na porta da locadora antes dela abrir. Era uma algazarra de moleques vindos de todo os lados, uma correria pra entrar e conseguir pegar os melhores jogos pra se jogar no final de semana. Os jogos, na maioria dos casos, vinham etiquetados com cores diferentes, pra organizar os valores cobrados. Quanto mais famoso o jogo, mais caro seu aluguel, mas nada que superasse, falando em valores altíssimos, os 5 reais por dia. E sempre tinha aquele jogo que não parava nem dois dias na locadora!

Além de alugar as fitas e, em algumas lojas, permitir até a jogatina com televisões com timer, as locadoras eram também pontos de encontro de quem gostava de jogar. Muitas amizades duradouras foram feitas nesses lugares, onde muitos vinham pelo simples prazer de estar ali, palpitando, opinando ou simplesmente assistindo as pessoas jogarem e alugarem seus cartuchos. Pois era ali que as novidades chegavam primeiro, eram praticamente o único ponto de referência para lançamentos, nos quais se formavam até filas para serem vistos e jogados.

loca2

locadoras eram pontos fáceis de se fazer amizades

Era sim, tudo muito bom, tudo muito bonito e divertido, mas… o que aconteceu com elas? Pra onde foram aqueles anos mágicos, aqueles lugares especiais que mais pareciam templos da jogatina, abrigando clássicos que estávamos descobrindo aos poucos? O que aconteceu pras locadoras quebrarem de vez?

Na época dos 8 e 16 bits, o período por volta de 1988 até 1995, acredito que tenha sido o ápice das locadoras de videogames. Naquele tempo, não havia muita informação e nem os vários meios que temos hoje em dia, com o advento da internet por todos os cantos. O máximo que conseguíamos extrair de informações sobre algum jogo se dava através da experiência de algum amigo que já tinha jogado, ou então, comprando revistas, que eram caras pra época e nem todo mundo comprava. No Brasil tivemos diversas edições antológicas de revistas lendárias, como a Videogame, que trazia detonados e informações de vários jogos, tanto da Sega quanto da Nintendo e até do Atari 2600 e Game Boy.

loca3

jogar na locadora tinha todo um clima especial, muito diferente de jogar em casa, sozinho, como acontece com 99% das pessoas atualmente

Comprar cartuchos nessa época eram para poucos, devido à inflação ser astronômica. Então, a única forma era alugar os jogos por períodos de um ou dois dias, jogar o que conseguisse e devolver à locadora, mediante um pagamento módico. Essa foi a forma que conheci a maioria dos jogos que postei aqui no OGFTW e também no Shugames, através do aluguel. Muitos dos que nasceram na década de 80 fizeram uso das locadoras e sentem saudades dessa época. Era um tempo de total experimentação, pois muitas vezes você era induzido pela capa do jogo a alugá-lo, sem nem ao menos conhecer de fato o jogo. Poucos eram os que pediam pro dono da locadora por a fita pra funcionar, só pra ver como era. Menos ainda eram os que podiam comprar os cartuchos naquela época. E mais raros ainda eram os donos de locadoras que permitiam trocar a fita caso você não tivesse gostado do jogo…

loca4

prateleiras cheias nos levavam à uma dúvida crucial: o que pegar em meio à tantas opções?

Anos depois, mais ou menos entre os anos de 1994 e 1996, o Sega Saturn e o Playstation surgiram no mundo. Com o Playstation principalmente, a pirataria se tornou algo do cotidiano do brasileiro: comprar jogos piratas por 5, 10 reais era muito mais prático e simples do que ir numa locadora alugar um CD do console! Até baixar os jogos, alguns anos depois, era simples e rápido, só se gastava centavos pra comprar uma mídia virgem e você tinha qualquer jogo em mãos! Raros são os que alugavam jogos pra esses sistemas e eu vou dizer: fui um dos raros que alugou muito, tanto jogos para Sega Saturn como para Playstation. Não, eu não disse que não usufrui da pirataria, muito pelo contrário, ainda tenho um armário de jogos copiados em casa, mas, naquela época, principalmente no Saturn, eu aluguei muita coisa também. Mesmo depois de destravar o console, eu ainda fazia peripécias de alugar 3 ou 4 jogos na sexta-feira só pra poder entregar na terça. Com Guardian Heroes era assim. Talvez só pra sentir o clima do lugar, com pessoas jogando, eu sempre pintava por lá pra alugar alguma coisa.

loca5

eu nunca tive um Super NES, mas já cheguei a alugar ele próprio por duas semanas seguidas quando tive a oportunidade!

Outro fator seria a queda dos preços dos computadores pessoais. Como eu apresentei no especial sobre os emuladores, por volta de 1997 os primeiros emuladores completamente jogáveis já estavam circulando, o que anula quase que por completo a existência de um lugar para se alugar os jogos. Baixar um jogo e executá-lo no emulador, de graça, foi a pá de cal na história das locadoras.

Então o que quebrou de fato as locadoras foi a pirataria? Sim, de certo modo, a pirataria ajudou bastante nesse contexto. Como eu disse, pra que pagar dois reais num aluguel por um dia, sendo que por cinco reais você comprava o jogo e podia jogar o quanto quisesse? A pirataria foi, talvez, o principal combustível pra destruir a indústria das locadoras no Brasil. E, com essa destruição, todos aqueles anos de ouro convivendo com elas acabou ficando no passado e, agora com consoles cada vez mais conectados à internet, sem qualquer possibilidade de volta! Claro, ainda devem existir raras locadoras vivas, não como antigamente, mas existem. A maioria das que restou obrevive praticamente de aluguel de filmes (que também é um mercado que quase foi destruído por completo por conta da facilidade de download e gravação) ou então se transformaram em sites de vendas de jogos.

loca6

essa imagem antológica não poderia faltar aqui!

E vocês, qual a experiência que tiveram com locadoras na época? Quais eram as mais badaladas do seu bairro? Deixe sua opinião experiências nos comentários. É sempre gratificante ler relatos de pessoas que também viveram essa época, um tempo onde o ato de alugar um game refletia em toda nossa diversão no final de semana e que, atualmente, faz muita falta.

10 comentários

  1. Cosmao! Me caiu uma lágrima com essa matéria, parabéns pela qualidade de texto e conteúdo. Fui rato de locadora entre 94 e 97, período que tiveram muitas novidades pro snes e depois tive um ps1 e aconteceu como você escreveu; jogos piratas a preço de banana. E também fui rato de bancas de revistas pra poder acompanhar o que estava por vir e acompanhar os detonados. Época de ouro

  2. Fala Max! Eu também fui rato de locadoras, muito mais de locadoras do que de fliperamas, onde minha mãe enchia o saco pra não ir (mas eu ia às vezes escondido hehehe). Bancas eu sou rato até hoje, quase todo dia eu dou uma passadinha numa banca aqui perto do trabalho só pra xeretar as novidades.

    Qualquer dia eu faço um post sobre isso também😀

  3. Nossa que nostalgia, lembro muito bem dessa época maravilhosa, comecei alugando poucos jogos de Mega Drive, mas quando peguei um Super Nintendo, foi amor a primeira vista e toda sexta feira arrastava minha mãe na locadora para alugar um ou dois jogos, foi um momento mágico, e uma infância feliz =)

    1. Meu primeiro aluguel foi de um jogo do Master System, o Double Dragon. Já imagina minha alegria em ter o jogo “do bar da esquina” na minha casa, pra jogar o quanto eu quisesse!

      Engraçado que na época eu não lembro de comparar com os arcades, joguei tanto o DD do Master que nem sobrava tempo pra comparar. Saudades dessa época…

  4. Nossa, cara, que demais lembrar dessa época de locadoras.

    Eu cheguei a alugar fitas de SNES, isso lá por volta de 2000, quando eu tinha meus 8 ou 9 anos. Todo sábado de manhã eu ia com minha mãe na locadora. Eu até me lembro do dia em que fui devolver um cartucho e dei de cara com a locadora fechada. Depois que consegui devolvê-lo, descobri que iam fechar de vez.

    Os jogos que eu me lembro de alugar eram Chrono Trigger, Michael Jordan: Chaos in the Windy City, Earthworm Jim 2, Yoshi’s Island, Hook, Pocky & Rocky 2, Joe & Mac 2, Scooby-Doo, entre vários outros.

    1. Alexandreh, acho que somos os dois únicos fãs de Michael Jordan Chaos in the Windy City hehehe! Tempos realmente bons esses, onde descobrir tudo na raça nos fazia dar valor aos jogos.

      1. Verdade, hehe. A primeira vez que eu joguei o jogo do Michael Jordan foi quando um colega da minha escola levou a fita na minha casa. Depois eu devo ter alugado umas duas vezes.

  5. Cosmão, seu facínora, fez com que entrasse vários ciscos no meu olho. Vocês são todos bebezões, eu (meu pai) já alugava fitas de Atari 2600 em 1986 aqui em Mogi das Cruzes – SP. Hoje o local é uma farmácia, mas sempre que passo lá as cenas de quando ia com meu pai alugar Pac-Man, Pitfall, Enduro, etc, retornam em minha mente, maldita pirataria.

    Bem … não sendo hipócrita, eu também já comprei games piratas, embora na época, eu nem sabia direito o que era pirataria, meu pai menos ainda. Tinha um tio nosso que ia direto pro Paraguay comprar muambas e trazer pra revender aqui, pensávamos que era tudo original, só que mais barato. (hahahaha).

  6. Eish…. artigo muito bom… deu para soltar aquela lágrima nostálgica no canto do olho🙂

    Aqui em portugal não existiam “locadoras” em grande número, talvez por os jogos serem mais baratos do que aí, eles apostavam em vendas. Havia no entanto um ou outro clube de vídeo que que alugava jogos mas isso foi muito mais tarde, já no tempo da Playstation.

    Tenho pena que por cá na altura não tivesse tido a oportunidade de alugar o Double Dragon e passar o fim de semana a jogar…. também era um dos meus preferidos!

    abraço

  7. po cada dia que me lembro dessa época que eu ia pra locadora alugar jogos e filmes fim de semana cheios de alegria me da uma vontade de chorar sabe porque , por que nos sabemos que não vai mais voltar .. m me lembro do primeiro games top game da cce 8bits e depois snes e depois sega saturno e por ultimo Playstation saudades . hoje ta tudo mudado as pessoas se adapitaram em celular ficam o tempo todo nessa merda de zap zap eles não sabe o que era bom obrigado por postar essas velhas lembrança

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s