7 Jogos que Você tem que Jogar – Edição MEGA DRIVE

mega drive bnn

Mais um especial, mais 7 jogos que vocês precisam jogar, dessa vez, no saudoso Mega Drive.

#7 – Ex-Mutants

Facilmente, você diria que Ex-Mutants é uma cópia fajuta dos incríveis X-Men, da Marvel. Claro, vejam as fotos, a capa do jogo e até mesmo alguns personagens, tudo realmente lembra muito os mutantes da Marvel. Mas, a história aqui é outra! Os mutantes aqui abraçam a causa e lutam para serem realmente heróis, bem diferente da galera dos X-Men, que vivem procurando a cura e alguns até rejeitam seus super poderes, enquanto chutam bundas dos inimigos. Mas, falemos do jogo em si.

ex-mutants

Em Ex-Mutants, controlamos dois heróis em um jogo bem caprichado de plataforma, com muita exploração de cenários e itens pra achar e coletar. O game tem um visual muito bacana, herança de uma produtora de renome chamada Malibu Interactive…. Imagino que, assim como eu, muitos sequer conhecem pelo nome a produtora do jogo, mas, realizei algumas pesquisas e descobri que a Malibu Interactive produziu enormes clássicos pro Mega Drive, como, por exemplo, Desert Strike, Jungle Strike e Batman Returns. Então, não se trata de uma mera produtora e o jogo prova isso na prática, sendo um game até certo ponto obscuro, mas com uma qualidade invejável!

#6 – Risky Woods

Risky Woods, ao contrário do que alguns podem achar, não é um game exclusivo para Mega Drive. Ele também foi lançado para Amiga e inclusive pra DOS, mas, foi no Mega Drive onde ele teve uma maior visibilidade. No jogo controlamos Rohan, um jovem aprendiz de feiticeiro, com a missão de libertar os monges ancestrais que foram transformados em estátuas em diversos lugares de Risky Woods.

risky woods

Como jogo, Risky Woods lembra, basicamente, dois outros jogos bem mais conhecidos: Ghouls’n Ghosts e Shadow of the Beast. Em se tratando de design, Shadow of Beast é claramente a inspiração para cenários, inimigos e ação frenética, mesmo que, em Risky Woods, Rohan use projéteis atirados pelo seu cajado mágico, diferente da criatura de Shadow of the Beast. De Ghouls’n Ghosts, Risky Woods importou a dificuldade exacerbada e o mapinha inicial, que mostra o avanço do jogador, muito parecido com o mapa do clássico da Capcom. É um jogo bem difícil de se aprender a jogar, portanto, tente por sua conta e risco.

#5 – Rolling Thunder 3

Rolling Thunder é uma famosa série de jogos da Namco, que começou nos arcades e veio terminar exclusivamente no Mega Drive. Algo muito parecido com isso aconteceu com Splatterhouse, mas isso fica pra outra ocasião. Rolling Thunder segue a cartilha de atirar e saltar, num plano 2D com possibilidade de subir no cenário mediante à um comando específico. Algo muito próximo disso acontecia na série Shinobi, principalmente em Shadow Dancer e no primeiro Shinobi, pra Arcades e Master System.

rolling thunder 3

Rolling Thunder 3 pega tudo de bom dos dois primeiros games, sua forma interessante de contar a história (cheia de cutscenes), sua mecânica de decoreba e adiciona mais fases, mais dificuldades, armas novas e um visual muito bacana também. O game desfila por fases temáticas bem interessantes, com desafios que mais dependem de tentativa e erro do que da habilidade do jogador. Como as armas tem munições limitadas, saber usar determinadas armas em certos locais lhe dará mais chances de vencer as fases.

#4 – Light Crusader

Muitos jogos bons saem no final da vida dos consoles. Light Crusader é um bom exemplo disso. Feito pela impecável Treasure, este belo RPG de ação mistura uma jogabilidade muito similar à Landstalker/Equinox (este último para Super NES), com puzzles, monstros e muita exploração de cenários. Sir Daniel, o protagonista, é chamado pelo rei de Green Row para investigar o desaparecimento dos cidadãos do vilarejo.

light crusader

O game funciona bem, mesmo com essa visão isométrica, saltar em plataformas e atacar os inimigos à princípio pode ser meio complicado, mas dá pra se acostumar numa boa conforme continuar jogando. A trilha sonora do game faz jus à fama da Treasure, recheada de clássicos instantâneos. O visual também chama muita atenção, com destaque pra áreas inundadas, num belo efeito da água e nos detalhes de paredes e vigas. É um jogo meio raro de se ver por aí, portanto, se você gosta do estilo, não perca tempo e vá jogar!

#3 – The Legend of Galahad

Esse jogo tem uma história meio confusa no Mega Drive. Trata-se de uma versão do jogo Leander, originalmente lançado para Amiga, mas que, ao ser portado para o Mega pela Electronic Arts, teve seu nome alterado para Legend of Galahad. O game da Psygnosis antecede o lendário Shadow of the Beast e, por isso mesmo, compartilha de várias similaridades com ele, desde cenários bucólicos, inimigos grandes e medonhos, objetivos escusos e uma dificuldade altíssima, mesmo no início do game.

legend of galahad

O objetivo é sempre o mesmo: vasculhe a fase em busca de moedas e de um item específico de cada fase pra poder acessar o portal e prosseguir no jogo. Explorar é a palavra chave em Galahad, mas explorar com calma, calculando saltos, avançando devagar e poupando o máximo de energia que puder. As fases, geralmente montanhosas, escondem cavernas cheias de inimigos te esperando. Moedas podem ser trocadas por armaduras e espadas mais potentes, tudo pra que você consiga superar os desafios, que são muitos.

#2 – Dahna Megami Tanjou

Esse é mais um game que ficou exclusivo no Japão. Dahna Megami Tanjou é um game de plataforma e combate, com temática medieval e que, dadas as proporções, lembra um pouco o clássico Golden Axe, principalmente por misturar espadas, machados, bestas e magias. Contudo, é bom não confundir as coisas: Dahna é um autêntico jogo de plataforma 2D, focado no combate simples e rápido, diferente de Golden Axe, que é praticamente um beat’em up medieval.

dahna megami tanjou

Aqui controlamos Dahna, que precisa salvar sua irmã raptada por um ser poderoso e maléfico. Para tal, a nossa guerreira conta com uma espada, uma magia que pode ser fortalecida ao se encontrar jóias que alguns inimigos dropam e, em algumas fases, bestas que servem de montaria. O jogo é bem difícil, sendo que só existe uma vida por continue, totalizando 5 continues apenas. Perdeu toda energia, game over com possibilidade de gastar um continue e voltar no início da fase. Caiu num buraco? Mesma coisa! Dahna pode atacar em três direções (trás, frente e cima), além de saltar mais alto quando se segura pra cima + pulo e até mesmo se deitar no chão para evitar ser atacada. É um joguinho simpático, com visual simples e, como eu já mencionei, bem difícil.

#1 – King Colossus

Se não fosse por pessoas que simplesmente amam os jogos, muitas pérolas, como esse King Colossus, ficariam restritos à língua japonesa. King Colossus recebeu um patch de tradução já em 2006, sendo que, até esse ano, foi um game exclusivo do Japão. Nele, controlamos um jovem herói com a missão de livrar seu reino do mal, como todo e bom jogo de RPG. Se alguém sentiu falta da continuação da série Y’s no Mega Drive, esse jogo é uma boa resposta.

king colossus

King Colossus funciona como um belo RPG de ação, onde os combates são em tempo real, com o personagem podendo, inclusive saltar e atacar ao mesmo tempo, tudo no melhor estilo Alundra de ser. Apesar do foco aqui ser mais nos combates e na exploração das áreas, aprender a atacar é imprescindível, já que o alcance da espada inicial do herói é muito curto. Logo, no entanto, é possível usar novas armas, como um machado, conseguido logo na primeira dungeon. King Colossus é um belo exemplo de jogo de qualidade no Mega, que infelizmente ficaria esquecido no Japão se não fossem as almas caridosas dos tradutores e programadores.

8 comentários

  1. Matéria bem maneira, cara. Esse Ex-Mutants e Dahna to afim de jogar, aliás, achou que vc já tinha falado de Dahna outras vezes em algum outro blog nao foi? o Light Crusader deve ser o único RPG que gosto de jogar, isso muito mais por ser da Treasure. O Rolling Thunder eu não gosto e o Legend of Galahad, esse port aí do Leander é bem inferior ao Leander. E ao contrário do que disse, o Risky Woods fez mais sucesso no Amiga e no DOS do que no Mega Drive. O jogo é um clássico para os PCs da época, no Mega ficou desconhecido, embora a versão Mega seja bom, e o mais legal de tudo, tenha diferenças em relação as versões PC.

    1. Na verdade, eu fiquei meio na dúvida sobre esse “sucesso todo” que eu pintei do Risky Woods no Mega. Acredito que ele teve um maior prestígio no Amiga mesmo.

      Sobre o Light Crusader, to preparando alguma coisa sobre ele para o futuro. Leander infelizmente eu nunca joguei, mas gostei do Legend of Galahad. É um jogo que precisa ter muita paciência pra conseguir avançar. E sobre o Dahna, acho que mencionei ele lá no Shugames em algum post sobre o Mega Drive hehehe!

      Ex-Mutants eu recomendo bastante. Típico jogo daqueles que vc descobre sem querer na locadora e se apaixona de imediato!

  2. Excelente matéria. Não conhecia os jogos. O Rolling Thunder foi o único de que ouvi falar, no podcast do Assoprando Cartuchos. Dizem que é bem difícil.

      1. Cosmão, não dá pra aceitar as análises feitas por feras como vc, Eric, Gagá, Caduco e tantos outros que acham fácil aquilo que eu acho absurdamente difícil. A opinião tem que vir de alguém que jogue no “easy” reclamando da dificuldade😀

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s