MARATONA SNES – Dia 54 – Fazendo Tudo com Muita Graça e Estilo

AEHOO CARAMBA twenty sixteen na área e essa maratona acredito que esse ano ainda não acaba… será!? Vamos um dia de cada vez, um pé na frente do outro, respira que ainda é o dia 54 de 75 e vamos lá porque hoje em navio afundando, submarino sem gasolina, roedores ninjas e panteras bípedes com uma cor diferente da convencional.

Segura essa mermão.


maratona54

 

[531] Mighty Morphin Power Rangers
Natsume, 1995
Ação/Beat’em Up

531-MMPWRR

Matt: O jogo dos Pauer Renger que todo mundo queria finalmente chegou, briga de rua no melhor estilo 2D sem profundidade com movimentos bem caprichados nos frames, hora de morfar com dancinha e os cinco amiguinhos Jason, Billy, Zach, Trini e❤ Kimberly❤ prontinhos para ganhar as ruas. O jogo é bacana mesmo e reserva uma surpresa no final, depois da quinta fase (dá pra jogar uma fase com cada ranger, yay!) você controla o robozão Megazord pisoteador de edifícios contra dois monstrengos do mal.

 Max Carnage: Power Ranger é cheio dos jogos legais, tipo esse. Mas por incrível que pareça, aquele baseado no filme é melhor.

[532] Zero the Kamikaze Squirrel
Sunsoft, 1994
Plataforma

532-Zero

Max Carnage: Zero é um spin-off do Aero the Acro-Bat, e também rival do morcego, porém o game tem bastante diferença. A começar pelo controles, onde o esquilo tem movimentação mais livre e pode até voar (mesmo sendo um saco tentar ele fazer isso). Também conta que as fases não tem limite de tempo, o que atrapalhava muito principalmente no primeiro Aero.

Matt: A arte de reciclar gráficos está aqui, Zero e um Aero Acrobata melhorado, mas basta entrar a primeira fase e o jogo já arremessa na sua fuça as semelhanças com o primo mais velho. Pelo menos esse é beeeeem melhor que os jogos do morcego antipático que quis ser mascote da Sunsoft. Afinal, esquilos > morcegos.

[533] Fighter’s History
Data East, 1994
Luta

533-FH

Matt: Port de arcade, adoooooro! Joguinho de luta bem simples mas bacaninha, a Data East tinha que fazer alguma coisa nova para diferenciar das dezenas de jogos de luta que estavam aparecendo em 1993-94 e sacou um sistema de “pontos fracos”, cada lutador tem um ponto fraco que você deve tentar acertar algumas vezes para fazer ele ficar tonto e vulnerável, cada lutador tem um weak point diferente, normalmente um acessório ou peça de roupa. Um jogo na média.

Max Carnage: Lembro que chamava esse game de “japonês 6”.

[534] Jim Power – The Lost Dimension in 3-D
Electro Brain, 1993
Shooter/Plataforma

534-JP

Max Carnage: O que dizer desse game? Rápido, desafiador e não tão bom o bastante pra lembrar Contra ou Mega Man, mas chega a agregar algo pra biblioteca do console. Destaque pro mapa de fases no início, semelhante ao Ghouls and Ghosts.

Matt: Esse jogo me deixou tonto, não aguentei 1 minuto desse maldito fundo de tela passando… Isso era o máximo de 3D sem óculos que dava pra se fazer em 93 pelo jeito. O jogo é interessante mas tem muita coisa problemática, o herói é bem babaca, as musicas são bem “mega drive” e os gráficos tambem, jogabilidade muito ruim, um jogo com potencial que falhou miseravelmente.

[535] Kyle Petty’s No Fear Racing
Williams Entertainment, 1995
Corrida

535-KPNFR

Matt: Joguinho de stock car (Nascar) gringa que traz na capa um dos pilotos populares por lá, pra gente uma espécie de Seu Madruga de boné com mullets. O jogo é bem mediano, mas tem um editor de pista, o que dá um pouco mais de tolerância nossa pra ele.

Max Carnage: Seu Madruga com mullets hahahahahahhahahaha.

[536] Pink Panther in Pink Goes to Hollywood
TecMagik, 1993
Plataforma

536-PPPGTH

Max Carnage: Pantera se arrisca no mundo dos filmes e dá muita dor de cabeça ao diretor brabo. As aventuras são em cenários baseados em temas de filmes variados e lembra a posterior série Gex.

Matt: Aqui um jogo legalzinho de um personagem cartunesco esquecido nos games, esse é legal e chega até a ter um desafio interessante, tenho certeza que só vendo essas fotos a musiquinha veio na sua cabeça.

[537] Mecarobot Golf
Toho, 1993
Golfe

537-MG

Matt: Jogo de golfe com uma história triste… nessa época o mundo é um lugar ainda mais chato e os robôs humanóides são considerados segunda classe, e o coitadinho do robozinho chamado Eagle não pode participar dos torneios por causa dessa discriminação, daí vem um humano bonzinho e constrói um campo de golfe para eles ser feliz.

Max Carnage: Robô e golf, tudo a ver heim.

[538] S.O.S.
Vic Tokai, 1993
Aventura

538-SOS

Max Carnage: Baseado num filme dos anos 70 com uma história semelhante ao do Titanic (porém não baseado em fatos reais), neste game você escolhe um personagem sendo que cada um tem sua jornada no navio, que fatalmente se ferra numa tempestade e você tem que sair pelo gigantesco transporte atrás de uma saída, podendo pedir ajuda aos poucos sobreviventes. A conversão pra game até que ficou legal, mas haja paciência.

Matt: Esse jogo é até considerado “cult” ou “obscuro” por alguns, mas eu via sempre nas locadoras aqui, a gente chamava de TITANIC. É praticamente um puzzle gigante, como o Max falou, a onda é sair do navio antes que ele afunde totalmente, caçando saídas e entrevistando os que vão ficar.

[539] SeaQuest DSV
Sculptured Software, 1995
Estratégia/Shooter

539-S

Matt: Eu queria formar uma opnião sobre esse game mas não consegui jogar… Não saí dessa tela com a lista de compras.

Max Carnage: No PC deve ser bem melhor, naquela época.

[540] Terranigma
Enix, 1996
Action RPG

540-Terranigma

Max Carnage: Estamos falando de uma masterpiece do console. Terranigma segue o estilo “Zelda” com uma história emocionante até pro cara mais sem coração da face da Terra. Movimentos fluidos, segredos e o sistema do level up vão te prender por boas horas.

Matt: Muito bacana mesmo, uma abordagem interessante, viagens pelos cantos do mundo, ressuscitar a flora, fauna e a própria humanidade, muito bom, muito bem feito, história surpreendente e tudo com o selo de qualidade da Enix.

6 comentários

  1. Terranigma, por mais que doa a alguns aceitarem, supera e muito Zelda ALTTP.
    Não acho inclusive que seja injusto comparar ambos também ( como talvez algumas pessoas achem ). E digo mais, não só isso, Terranigma pode fácilmente figurar em um top 10 ou pelo menos 20 do console disparado…o jogo é excelente, uma combinação maravilhosa de jogabilidade fluída com um enredo muito bom e interessante, com um final de partir o coração mesmo. É até triste ver o quanto, apesar de cult hoje em dia, ainda é um jogo bem esquecido por vezes.

  2. Caramba, eu fiquei bem interessado nesse SOS. Nunca tinha ouvido falar em uma história no estilo Titanic para o Super Nintendo. Vou tratar de jogar. E por ter o nome da Human Entertainment, responsável pelo Clock Tower, acredito que tem tudo para ser legal.

    Já o Terranigma é sem dúvida um dos melhores RPGs para o SNES.

  3. Caras q legal faz tempo q estava procurando um projeto igual o de vcs. Muito boa a iniciativa podem ter certeza q vou acompanhar os posts de vcs de hoje em diante e sempre q possível passarei pra escrever um comentario. Ja pensaram em fazer um projeto parecido com outros consoles classicos? Parabens pelo trabalho vou indicar vcs p/ outros amigos gamers saudosistas. O link do blog de vcs já está salvo nos meus favoritos do navegador!
    Abraços e mesmo q apareçam dificuldades não desistam e sigam em frente com o q acreditam!
    Abraços

  4. esse SOS só pelo fato de ser da Human (Clock Tower) vale a pena dar uma olhada

    Terranigma é bacana mesmo, um amigo do meu irmão nos mostrou o jogo na época, falam muito bem dele, mas não pudemos joga-lo com afinco

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s